Bolsonaro: ‘CPI da mentira’ se ilude achando que vai derrubar governo

Presidente Jair Bolsonaro em cerimônia no Pará Foto: Reprodução/TV Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reforçou, nesta sexta-feira (18), críticas à CPI da Covid no Senado, que investiga atos e omissões do governo federal no combate à Covid-19. Segundo Bolsonaro, o colegiado é “a CPI da mentira”, “onde não se busca a verdade” e a maioria “se ilude, achando que vai derrubar o governo federal”.

Durante cerimônia de liberação da pavimentação de 102 quilômetros da Rodovia Transamazônica (BR-230/PA), Bolsonaro voltou a recomendar o uso de medicamentos sem eficácia comprovada, citando-os por nome, e disse recomendar: “Pessoas que tenham problemas com a Covid-19 que procurem seu médico, para o tratamento precoce”.

Bolsonaro também disse que entregará, ao fim de seu mandato, um país melhor em relação a janeiro de 2019, quando iniciou o governo. Após ressaltar que a maioria da população brasileira é cristã, ele afirmou que deseja a vitória de alguém “de direita, conservador e que respeite a família” nas eleições presidenciais de 2022.

– Respeitamos todas as religiões, mas é muito bom ter Deus no coração – disse o mandatário federal durante assinatura da ordem de serviço para o início das obras da ponte sobre o Rio Xingu.

O presidente voltou a destacar medidas de assistência social, como o auxílio emergencial, que, segundo ele, custou o equivalente a dez vezes o valor do Bolsa Família.

– O governo não pestanejará para destinar recursos para atender necessidades básicas do seu povo – declarou.

ELOGIO A MINISTROS
Bolsonaro elogiou seus ministros e os comparou ao time da seleção brasileira campeã da Copa do Mundo de 1970.

– No passado, sempre se dizia: é muito fácil ser técnico da Seleção Brasileira com Pelé, Tostão, entre outros. Ser presidente do Brasil não é fácil, mas é muito facilitado pelo time de ministros que nós temos – afirmou.

Bolsonaro foi recebido por uma multidão de apoiadores ao chegar ao Aeroporto de Marabá (PA), onde distribuiu abraços e apertos de mão. O pastor Silas Malafaia, que participará hoje do culto de comemoração dos 110 anos da Assembleia de Deus, em Belém, integrava a comitiva do presidente da República, assim como o deputado federal Marco Feliciano (Republicanos-SP).

Estiveram presentes também os ministros da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e da Agricultura, Tereza Cristina, além do presidente da Caixa, Pedro Guimarães, do senador Zequinha Marinho (PSC-PA) e dos deputados federais Éder Mauro (PSD-PA) e Joaquim Passarinho (PSD-PA).

*AE

Propagandahttps://uploaddeimagens.com.br/images/003/150/661/original/4_Segundo.gif?1616686660

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui