PL baiano e João Roma se manifestam de forma contrária a operação da Polícia Federal contra Bolsonaro e Valdemar

Propaganda

O presidente do PL Bahia, João Roma, se manifestou nas redes sociais sobre a operação Tempus Veritatis da Polícia Federal que teve como alvos o ex-presidente Jair Bolsonaro e aliados, nesta quinta-feira (8). No X, antigo twitter, Roma reagiu ao que chamou de ”mais uma ação de ativismo judicial, sem respeito algum ao devido processo legal”:

”As regras da democracia não servem a um projeto de poder totalitário. Não basta a vitória nas urnas. É preciso destruir o adversário. Não tem outra explicação para a implacável perseguição ao ex-presidente Jair Bolsonaro, o principal alvo de mais uma operação de pescaria da Polícia Federal, quando a suposição de um imaginário golpe justifica mandados judiciais na tentativa de encontrar indícios para acusações. É a inversão de uma justiça de dois pesos e duas medidas”, disse.

Propaganda

O próprio PL da Bahia repudiou os ”sucessivos atos de ativismo judicial que evidenciam perseguição e criminalização das atividades políticas no Brasil”. Para o partido, esse comportamento antidemocrático, que vem se tornando rotineiro, não condiz com o espírito republicano e cidadão da Constituição Federal.

”O PL Bahia se solidariza com todos que estão sendo vítima dessas arbitrariedades, em especial, o presidente nacional da legenda, Valdemar Costa Neto”, completa em nota.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui