Itabuna: Única candidata com Down na Bahia, Larissa Leal diz: ‘Acho que dá para ganhar’

“Muito empolgada”: é assim que se sente Larissa Leal (PDT), única candidata com síndrome de Down da Bahia, para a campanha rumo à Câmara de Vereadores de Itabuna, no litoral sul baiano.

“Acho que dá para ganhar”, brinca Larissa, ao lado do pai, Roberis Silva, em entrevista ao Bahia Notícias, mesmo admitindo que não vem podendo realizar sua campanha da forma que gostaria. Por conta da pandemia da Covid-19, para evitar aglomeração ela concentra a maior parte de sua propaganda pelas redes sociais.

Para isto, nos últimos dias, ela ganhou reforços consolidados na política. A nível baiano, o secretário municipal de Saúde (SMS) de Salvador, Leo Prates (PDT), publicou na última quinta-feira (15) uma mensagem de apoio à postulante. Nacionalmente, o apoio foi do senador Romário (Podemos-RJ), que tem uma filha com a mesma síndrome de Larissa, e possui trabalhos e projetos neste sentido.

As principais bandeiras levantadas pela candidata são em favor das pessoas com deficiência. “Eu vou lutar por essas pessoas. Os eleitores estão entendendo bem minhas propostas”, comenta.

Dentre os projetos, ela pretende criar uma escola especializada no ensino a pessoas com deficiência. Outra proposta dela é conversar com associações especializadas no acolhimento de deficientes. Ela também planeja criar um programa para levar gratuitamente pessoas com deficiência a atendimentos médicos no município. “Eu vou apoiar essas instituições. Vou apoiar também a acessibilidade”, resume. 

Para o pai de Larissa, a repercussão da campanha vem sendo positiva. “Eu tive que botar para andar o Facebook dela. Nos últimos dela, ela 1.500 solicitações de amizade. Eu aceitei 1.200. Eu estou usando o Facebook como ferramenta de conversas com as pessoas. O Instagram não tem tanta interação, mas o pessoal está entendendo muito”, explica.

”O pessoal está adorando. Eu sinto isso pelas caminhadas que eu faço”, acrescenta Roberis.

HISTÓRIA
Aos 26 anos, Larissa possui outros sonhos que não sejam a eleição para o Legislativo de Itabuna. Formada num curso de massoterapia, após o pleito ela pretende fazer faculdade de Fisioterapia. Uma faculdade na cidade, inclusive, já teria feito o convite. Ela também pretende escrever uma autobiografia para contar sua história. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui