Famoso ‘guru da meditação’, Tadashi Kadamoto é acusado de estupro de vulnerável

A denúncia foi feita por uma ex-aluna no fim do ano passado. A moça além de paciente, foi estagiária no instituto que leva o nome do terapeuta.

O terapeuta Tadashi Kadamoto, conhecido por ser o “guru da meditação”, com seguidores ao redor do Brasil, se tornou réu após a Justiça de São Paulo aceitar uma denúncia do Ministério Público por estupro de vulnerável de 5 vítimas.

A denúncia foi feita por uma ex-aluna no fim do ano passado. A moça além de paciente, foi estagiária no instituto que leva o nome do terapeuta.

Em seu relato, a mulher alega ter sido vítima de vários abusos sexuais durante 7 anos de tratamento e treinamento no instituto.

De acordo com a equipe da GloboNews, que divulgou a acusação em primeira mão, outras mulheres também procuraram a reportagem para denunciar o abuso, que acontecia presencialmente e por mensagens de textos e e-mails.

Tadashi Kadamoto atua como terapeuta transpessoal há 30 anos, esse tipo profissional usa hipnose, meditação, regressão e relaxamento em seus tratamentos.

O terapeuta se tornou ainda mais conhecido durante a pandemia com a realização de lives no Instagram que costumam atrair milhares de seguidores, além de diversas mensagens de autoconhecimento.

Em nota enviada à GloboNews após a divulgação da reportagem pelo advogado do terapeuta Alexandre Wunderlich, Tadashi nega as acusações.

“Tadashi Kadomoto atua há mais de 30 anos na área de treinamento comportamental, já tendo apoiado cerca de 100 mil pessoas, por meio de palestras e treinamentos motivacionais. São numerosos e públicos os depoimentos que comprovam a sua atuação. Durante a pandemia, promoveu, de forma gratuita, lives para a ajudar milhares de pessoas a atravessar esse período tão desafiador para todos nós. Em toda a sua reconhecida trajetória profissional, jamais recebeu solicitação de esclarecimento sobre qualquer fato e também não recebeu nenhuma denúncia formal até o momento”, diz o texto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui